Intervenções urbanas a favor do Urbanismo Caminhável

Urbanismo Caminhável é um método desenvolvido para classificar o quanto uma rua ou cidade é caminhável, trata-se de uma leitura de como uma  cidade pode melhorar a qualidade de vida das pessoas através da melhoria da sua caminhabilidade. Ocorre que as cidades são pensadas 100% para o carro, com a aplicação do método, fica fácil perceber os problemas que uma pessoa encontra ao caminhar falta de sinalização, arborização, excesso de ruídos, conforto térmico, condições  das calçadas, o tempo de travessia, a falta de espaços públicos, falta de acessibilidade entre outras questões… Além disso, o método leva em consideração outros indicadores como uso e ocupação do solo, saúde, atropelamentos, zoneamento… O objetivo é dar ferramentas de avaliação de caminhabilidade para que o poder público possa identificar os maiores problemas e aplicar intervenções urbanas para melhorar a condição das vias, tornando-as muito mais caminháveis, quanto mais caminhável é uma cidade mais saudável ela é  e melhor qualidade de vida ela trará aos seus cidadãos.

Oficina de Intervenções públicas na cidade de Jundiaí ( fotos Urbanismo Caminhável Jundiaí)
6630a9_181cd00b27f14449af87720960408017.jpg_srb_p_630_420_75_22_0.50_1.20_0

Todo o processo é colaborativo, realizado junto com a população.6630a9_4036aea4b46e4880975aec6f90d725e6.jpg_srb_p_630_420_75_22_0.50_1.20_0 6630a9_bf9728c0278b40ba94beaebb98c9ebc4.jpg_srb_p_630_420_75_22_0.50_1.20_0 6630a9_f1bf0227b2da4a20a6eae3c6564d89a9.jpg_srb_p_630_420_75_22_0.50_1.20_0 10153005_859435037481132_5052448952871465039_n

Como implantar um Parklet?

11391428_10200570828469607_8479225240521454097_n 11426491_10200570824269502_4379777003671909880_n 11391284_10200570829109623_2229919249894409666_nO Instituto Mobilidade Verde criou a Escola de Parklet cujo objetivo é ensinar  sua metodologia para implantação de Parklets nas cidades, o curso tem módulos para prefeituras,  pessoas físicas e jurídicas.

A  Escola de Parklet está na sua  4 edição em São Paulo e já foi para as cidades de Goiânia e Acre em parceria com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo.
O Instituto Mobilidade Verde foi pioneiro na Implantação de parklets na cidade de São Paulo e um dos responsáveis pelo projeto piloto que culminou com o decreto que transformou a iniciativa em políticas públicas na cidade de São Paulo, 4ª cidade do mundo a ter políticas públicas específica para implantação de Parklet.
O curso é dividido em módulos onde os alunos debatem o espaço público, recebem noções de espaço e lugar, metodologias de pesquisa e engajamento das partes interessadas, estudos de narrativas locais, questões legais, localização,  planejamento, estudos de materiais, projeto e implantação.

Maiores informações: lp@mobilidadeverde.org

Continuar lendo

Laboratório de Caminhabilidade é instalado na praça da Matriz em Jundiaí – SP

11227405_10200459597728908_5995550977753280551_n

O Instituto Mobilidade Verde , o escritório de arquitetura e Urbanismo Zoom e a arquiteta Thaisa Froes, se uniram para criar o coletivo Urbanismo Caminhável, com o propósito de reunir experiências, estudar e aplicar o conceito de caminhabilidade nas cidades brasileiras. O grupo já havia aplicado diversas ações de placemaking ( construção de lugares em tradução livre) na cidade de São Paulo, tais como os Parklets que foi trazido para o Brasil pelo grupo em 2012 , testado e transformado em politicas públicas na cidade de São Paulo e hoje está sendo desenvolvido por diversas capitais, os Pocket Parks, Praças, pesquisas envolvendo ocupação de espaços públicos. A metodologia de Urbanismo Caminhável desenvolvido pelo coletivo envolve 3 metodologias diferentes : “Caminhabilidade” ( Walkability) , Walkscore ( pontuação por uso e ocupação do solo) , Placemaking ( Construção de Lugares). A junção destas três metodologias permite classificar um trajeto ou uma rua a partir de um ponto de partida através de um perímetro de estudo. A classificação gera uma pontuação em função das condições das vias : Contagem de pedestres, Condições das Calçadas, Ruídos, Conforto Térmico, sinalização, Dinâmica , tamanho do Quarteirão, declividade, acessibilidade, amenidades entre outras medidas. A partir deste diagnostico que é feito em duas etapas: Caminhadas com a população para medir a percepção coletiva sobre os espaços dedicados aos pedestres e técnico com medição realizada por especialistas. A partir de um algoritimo desenvolvido pelo grupo, o trajeto e as ruas são classificadas por um sistema de pontuação que leva em conta variáveis objetivas e subjetivas. Continuar lendo

Presidente do Instituto Mobilidade Verde fala sobre Parklets no Jornal Nacional

lincoln_JNDia 14 de abril fez um ano da primeira instalação de Parklet na cidade de SP, um projeto que começou em 2011 através de estudos  inspirados nos Parklets de San Francisco, mas foi só em 2013 que conseguimos fazer um projeto piloto durante o Design Weekend e na 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo. Através de estudos desenvolvidos pelo Instituto Mobilidade Verde foi criado o primeiro decreto que regulamentou o Parklet como instrumento urbanístico da cidade de São Paulo, após uma ano, outras capitais se inspiraram no modelo adotado pela prefeitura de São Paulo e no sucesso de implantação pelo Instituto Mobilidade Verde

veja o link :  Entrevista no Jornal Nacional

Instituto Mobilidade Verde recebe diploma de premiação da Bienal Internacional de arquitetura de Quito

Premio bienal de quito bienal quito imv

Grupo é premiado na Bienal de Arquitetura de Quito , Zoom Arquitetura, H2C, Superlimão ,Contain’IT e Instituto Mobilidade Verde. O projeto ficou em 2º lugar na categoria  “Desenho Urbano e Arquitetura da Paisagem” , pelo potencial de renovação urbana provocada pelas pequenas áreas de convívio na cidade, contriubuição para mudança cultural e paisagem na cidade.

Instituto Mobilidade Verde participa da Mesa Cidade para as Pessoas no III encontro de Municipios

logoemds
O evento é promovido pela FNP ( Frente Nacional dos Prefeitos) em Brasília nesta 4ª feira as 15:45

Mesa D – Cidades para as pessoas: calçadas, travessias, acessibilidade e o incentivo à inserção da bicicleta no sistema viário

08/04 – 15h45 às 17h30Local: Sala 13

O modelo urbano ideal de cidade requer mais do que um transporte público eficiente. O uso indiscriminado do automóvel cresceu ao lado da precariedade das calçadas, o que configura uma redução dos espaços públicos para as pessoas. Como melhorar as calçadas para o principal meio de locomoção: andar a pé? Como incentivar a bicicleta como alternativa de transporte, inserindo-a no sistema urbano com segurança e eficiência? Quais as experiências e resultados visíveis?