Instituto Mobilidade Verde promoveu com comunidade local oficina de parklet participativo em Pinheiros

a_engajamento_suri8 a_engajamento_suri15O restaurante Suri, um dos parceiros do projeto emprestou suas mesas e cadeiras  que foram colocadas na rua, no lugar de um carro e  foi assim que iniciamos hoje a primeira oficina de parklet participativo da rua Mateus Grou no bairro de pinheiros, para escutar e desehar juntos o que a comunidade espera de um Parklet na região, o encontro    contou com a partipação de moradores, transeuntes, comércio local, crianças, associação de moradores, ONG entre outras partes interessadas.  A idéia foi contar um pouco sobre  nossa experiência com os Parklets, sua função na rua, no bairro e na cidade, o parklet é um ponto de partida para que a população possa  ocupar as ruas, uma oportunidade para criar áreas de convivência, locais mais humanizados  e buscar ou descobrir através do encontro a vocação do bairro e expandir para a rua. Foram discutidos não apenas o que o parklet deveria ter, mas como deveria funcionar, várias idéias foram surgindo desde um palco para atrações, biblioteca Latinoamericana, espaço para cachorros, crianças, bicicletas,  agenda de atividades, ponto de encontro para discutir até mesmo o zoneamento e as transformações que o bairro vai passar por estar num dos eixos de transportes da cidade, ao lado de uma ciclovia e uma nova estação de metrô ( Fradique Coutinho) que acaba de ser inaugurada e que vai impactar muito o bairro. Estaremos recebendo mais informações ao longo da semana, inclusive pesquisando as narrativas locais para incorporar no projeto.

Continuar lendo

Parklet de São Paulo é premiado na XIX Bienal Panamericana de Arquitetura de Quito.

XIX Bienal Panamericana de Arquitectura de Quito – BAQ 2014, considerada um dos maiores  eventos de arquitetura realizados na América,  anunciou os ganhadores do prêmio de arqutitetura internacional, entre os ganhadores estava  o grupo composto pelo Instituto Mobilidade Verde, Zoom Arquitetura, Superlimão, H2C, ConatainIT e Design OK pelo projeto dos Parklets em SP. Foi a décima nona edição do Prêmio  BAQ 2014 que convidou as pessoas para refletirem  sobre o tema “Da casa para a cidade, da cidade para a casa”.

HOME VEREDICTO1
Foto: BAQ 2014

Instituto Mobilidade Verde estuda novas cartografias para estimular caminhadas afetivas

As pessoas deixaram de frequentar o espaço público trocando-os pelos espaços comerciais. E se os mapas dos bairros fossem diferentes:  mais afetivos, sensoriais, menos convencionais que pudessem estimular a criatividade, a deriva, a deambulação e o Flanêur ? Dentro desta concepção saímos pela Vila Madalena para propor um novo modelo cartográfico baseado em sensações, referências numéricas, cores, sons, colagens, mapas térmicos,  narrativas locais, histórias das pessoas. Nem tudo precisa ter um sentido objetivo, mercadológico, a idéia do projeto é poder  se entregar a uma experiência de deriva,  para descobrir uma cidade diferente… os espaços vazios, banais, os não lugares. veja abaixo o resultado dos exercícios e veja outras mapas de outros locais e pessoas… Quem quiser cooperar com novos mapas, enviar projetos para contato@mobilidadeverde.org

95faec7e17e900dcee74b6220d8d5658Exemplo de um Scratch Map acima… abaixo mapa google Vila Madalena

cartografiaAbaixo novos modelos de cartografias proposta pelo Imargem ( Cartografiti)

-16 -15 Continuar lendo

Instituto Mobilidade Verde estimula o Urbanismo Caminhavel nas cidades brasileiras

Lincoln Paiva, presidente do Instituto Mobilidade Verde participou do Fórum Agenda Bahia, onde palestrou sobre a importância do desenvolvimento das cidades através do urbanismo caminhável, uma forma de construir cidades através da reorganização das cidades de modo que as pessoas tenham acesso a trabalho, educação, saúde e  lazer até 20 minutos caminhando. Sttefan Ries gerente de inovação da cidade de Freiburg falou logo após sobre a importância de andar mais nas cidades e deu exemplos de freiburg nesse caminho. Veja repercussão nos jornais.

correio3 correio_lincoln correio2

Instituto Mobilidade Verde recebe prêmio iniciativa do ano

10408947_10203195408231548_6360451910367046282_n
Foto: José Bueno (Rios e Ruas), Lincoln Paiva ( Instituto Mobilidade Verde) Alex Atalla ( Instituto ATA) Mariana e André Palhano ( Virada Sustentável).

O Instituto Mobilidade Verde ganhou o prêmio Pintou Limpeza da Rádio Eldorado / Estadão na categoria Iniciativa do Ano.  A festa de premiação foi na Pinacoteca do Estado.  Trata-se da 3ª edição do prêmio. As iniciativas foram escolhidas pela Rádio Eldorado por terem se destacado ao longo do ano e um Júri escolheu os ganhadores do prêmio.

Instituto Mobilidade Verde participa do Ocupa Goiânia e promove o Urbanísmo Caminhável pelo Brasil

a_ocupa_go13

Nos últimos 10 dias estivemos em Vitória no Espírito Santo para uma palestra para a Arquitetura da FAESA , fomos para  Goiânia para uma oficina sobre Parklets e depois embarcamos direto para  Salvador para uma palestra no Congresso de Urbanismo da UNEB.

Em Goiânia realizamos uma oficina de parklets para um grupo de jovens arquitetos e estudantes de Arquitetura, o programa foi promovido pela CAU ( Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás) e faz parte do projeto Ocupa Goiânia.

Sem dúvida nenhuma chegamos  ao  ponto de mutação, no Brasil inteiro os jovens querem mudança na perspectiva de cidade que já não corresponde mais  aos anseios da população. Durante todos estes dias ficamos em contato com essa juventude criativa, cheia de energia e pudemos dividir muitos sonhos e inspirações para uma cidade que queremos mais humana e sustenteavel.

Além da escola de parklet que realizamos em parceria com a Sobre Urbana ( Carol e André) , um dos  escritórios de Intervenção Urbana mais criativos e atuantes de goiânia , participamos da montagem da primeira “Vaga-Viva” de goiânia que foi montada estratégicamente em frente  a ocupação artística cujo nome era “Resistência Artísitica” promovida pela Hábil das sócias Dani e Sophia e participação do Coletivo Rua, pessoas igualmente maravilhosas. Foi incrível ver as pessoas participando e a aceitação da população,  é um Brasil que pede mudança e reforma urbana já.

-2 a_ocupa_go2
Grupo Ocupa Goiânia na primeira vaga viva da cidade

a_ocupa_go12

Continuar lendo

Mobilidade Verde estimula empresas a encurtarem distâncias Casa X Trabalho

caminhabilidade4há 3 semanas estamos estimulando empresas, escritórios de design, start Ups, áreas de marketing para trabalharem em pequenas estações de trabalho em áreas estratégicas da cidade, o objetivo é criar projetos experimentais que possibilitem pequenas e  grandes empresas a criarem HUBs,  pequenas estações de trabalho com internet, em espaços públicos   compartilhados em diversos pontos da cidade para que as pessoas possam  ter acesso ao trabalho a pé ou de bicicleta.  Além disso, queremos estimular o trabalho ao ar livre, mais informal e mais criativo para que as pessoas possam criar ambientes compartilhados que estimulam o convívio e prezem o bem estar e qualidade de vida.  Uma forma de encurtar as distâncias, reduzir a dependência pelo carro e incentivar o transporte mais ativo. O Instituto Mobilidade Verde quer estimular o desenvolvimento de HUBs  gratuitos em áreas públicas da cidade.

Instituto Mobilidade Verde ganha prêmio Iniciativa do Ano, da Rádio Eldorado e Estadão

Prêmio  anunciado agora a pouco é parte do projeto ‘Pintou Limpeza” que está na  sua 3ª edição e premia os projetos mais relevantes do ano em diversas categorias. A participação é uma indicação de uma curadoria que seleciona as iniciativas relevantes da cidade e os selecionados são eleitos  por um júri da premiação. O Instituto Mobilidade Verde foi indicado na categoria “Iniciativa do Ano” pela   implantação dos Parklets  na cidade de São Paulo.

10533398_4457880021539_5692438506856565741_n

Instituto Mobilidade Verde e Reud estimulam empresas criativas a trabalharem ao ar livre

pracinha_hub6Desenvolver este projeto foi uma das experiências mais expraordinárias de ocupação do espaço público que realizamos nos últimos anos. Trata-se de uma inovação em tecnologias socias que visam trazer as pessoas para ocupação de espaços públicos. A idéia é propor um novo uso para o espaço público que não apenas para lazer, mas como possibilidade de gerar trabalho e novos processos criativos.  Em parceria com o sistema B conseguimos juntar varias empresas que tem como objetivo fazer  negócios de impacto social, juntas puderam dividir experiência , conhecer outras empresas, coversar, tomar um sol… tudo ao ar livre

pracinha_hub4Movimento “Traga seu trabalho para a Pracinha Oscar Freire”

A Pracinha Hub foi inspirada no movimento BYOW ( Bring your Own Work) que é uma variação da expressão BYOB que começou em restaurantes nos anos 60 e 70 nos EUA “ Traga sua própria garrafa” , depois o termo foi variando para outras coisas como trabalho, pic nic, reuniões, evento, festa para o espaço público.

A idéia da “Pracinha Hub” é inspirar as pessoas através do trabalho ao ar livre, dentro deste conceito estamos convidando empresas, escritórios de design, agências de publicidade, Start Ups, qualquer empresa… para passarem ½ período trabalhando ao ar livre em nossas mesas coletivas em meio a uma das ruas mais charmosas de São Paulo, a rua Oscar Freire.

pracinha_hub18Nosso primeiro parceiro neste projeto foram as empresas do Sistema B, são empresas que querem resolver problemas sociais e ambientais a partir dos produtos e serviços que vendem. No entanto, qualquer empresa vai poder se inscrever no Hub, a inscrição é gratuita mas importante para ter acesso as mesas e internet, mas qualquer pessoa poderá frequentar a pracinha neste dia.

Durante o dia todo a Pracinha contará com a presença do Alex, Bio-Barista cafés especiais, Urban Remedy com seus sucos orgânicos prenssados a frio. E na hora do Almoço sempre haverá um food Truck, nesta quarta-feira dia 01/10 , teremos o The Asian Father de comida tailandesa e a partir das 18hs que tal um Happy Hours com Los Mendozitos?

10557157_4589926962630_8607846997264733188_n

Serviço:
– Rua Oscar Freire, 974

– Mesas comunitárias para até 8 pessoas com guarda-sol
– Internet de Alta Velocidade
– Local para estacionar Bicicleta
– Food Trucks (verifique o cronograma)
– Bio Barista – Cafés especiais
– Segurança
– Livraria Prince Books no Local
– horários : das 9h as 12h e das 15h as 18h
-Harário de Almoço : das 12h as 15h
– Estacionamento Rede park no local
pracinha_hub28pracinha_hub2pracinha_hub29 pracinha_hub23 pracinha_hub33 pracinha_hub6 pracinha_hub36 pracinha_hub32pracinha_hub5 pracinha_hub35 pracinha_hub21

Urbanismo Caminhável

urbanismo_caminhavel_800O Instituto Mobilidade Verde e a Zoom Arquitetura e Urbanismo fazem parte do coletivo “Urbanismo Caminhável”, um novo  conceito de pensar cidades mais humanas e sustentáveis, o objetivo do coletivo é disseminar a importância de repensar as cidades sob uma perspectiva que valoriza a caminhada,  transporte alternativo, transportes públicos, a mobilidade sustentável e o encurtamento das viagens através da criação de novas centralidades econômicas. Fundamentam esse conceito a metodologia de pontuação da “caminhabilidade” ( zoneamento, calçadas, ruas, sistema viário, conexões, uso do solo, arborização, espaços públicos, serviços, trabalho, saúde, educação e lazer) dos bairros, quanto mais pontos, melhor a qualidade de vida, o Placemaking e os  Projetos de intervenções urbanísticas.

Instituto Mobilidade Verde incentiva o Urbanísmo Caminhavel nas cidades

dsc02480.jpgAté a segunda metade do século XX, o urbanismo foi dividido em duas áreas: centrais e suburbanas. Essa abordagem criou bairros distantes de baixa densidade, péssima infraestrutura de transportes públicos e fraco desenvolvimento urbano e social. Já nos bairros centrais o mercado imobiliário encontrou um nicho de negócios altamente lucrativo, incentivado pela gestão pública, farto financiamento e estímulo para fixação das empresas privadas nos eixos centrais. Nos dois casos esse modelo de urbanismo estimulou a demanda de automóveis através da construção de estradas, rodovias e leis de pólos geradores de tráfego que incentivou a construção de infraestrutura para automóveis. Com desvantagem clara para as áreas suburbanas mais distantes, mais pobres, sem acesso ao automóvel e ao transporte público.

Com a falência deste modelo, surge um novo conceito de desenvolvimento urbano que vem sendo cada vez mais discutido em todo o mundo o “Walkable Urbanism”, ( Urbanismo caminhável em tradução livre), é um tipo de urbanismo que valoriza a curta distância entre moradia, trabalho, educação, saúde e lazer e é caracteriza por alta densidade e mix de diversos tipos de imóveis ligados por áreas de lazer e conectadas com múltiplos sistemas de transportes coletivo e não motorizado. Nesse novo modelo , o desenvolvimento urbano se volta para o desenvolvimento social e para geração de riqueza em diversos pontos da cidade, aproximando o trabalho, educação, saúde e lazer de forma distrital.

As melhores cidades do mundo serão aquelas que tem bairros cada vez menos dependentes de transportes individuais e públicos e consequentemente mais humanos, urbanizados e com fácil acesso a pé ou de bicicletas ao trabalho, educação, saúde e lazer.

O instituto Mobilidade Verde vem incentivando as cidades a pensarem diferente, a construírem cidades mais humanas e sustentáveis com resultados a curto, médio e longo prazo, através de intervenções urbanas, pesquisas, estudos e planejamento participativo  e com  metodologias proprias que ajudam as cidades descobrirem-se.

Institituto Mobilidade Verde participa do especial de Mobilidade Urbana da TV Globo

Entrevista com presidente do Instituto Mobilidade Verde  para o especial “Desafios para o próximo Governador” Eleições 2014, um olhar sobre as cidades mais humanas e sustentáveis, e reflexões  sobre a importância da redução das distâncias entre casa, trabalho, educação, lazer e saúde.

globo_3 globo1 globoAssista o programa no link : Especial – Eleições 2014 – Mobilidade Urbana TV Globo

Instituto Mobilidade Verde lança o projeto Biblioteca Afetiva – Narrativas Locais

cropped-img_46611.jpgBiblioteca Afetiva ( Narrativas Locais)

Com a crescente urbanização, falta de espaços públicos,  forte  verticalização dos bairros  tem causado um efeito muito perigoso que é a falta de narrativas locais, isso se dá pela falta  de convívio entre as pessoas, culminando pelo esquecimento, esvaziamento da memória do bairro. Novos empreendimentos são feitos, novas pessoas chegam ao bairro, não criam laços, nem raízes, não conhecem as narrativas locais, não convivem, não usam os espaços públicos, não ligam para o bairro. Reunir as pessoas, escutar os moradores mais antigos, contar a história do bairro são parte deste projeto que visa trazer maior afetivida entre as pessoas e o seu espaço, conectar as pessoas com o seu bairro. A criação de laços afetivos fazem as pessoas cuidarem mais do local onde mora, cria vitalidade social e econômica, segurança e qualidade de vida.

Estamos procurando voluntários para o levantamento das narrativas locais, vamos montar finalmente a biblioteca afetiva, o projeto começa com a seleção de antigos moradores de um  bairro, começaemos pela Vila Madalena, para gravar suas histórias de vida no bairro, as raízes do bairro, mitos e lendas…trabalho, educação… faremos a transcrição e levaremos para as escolas locais onde as crianças irão ilustrar estas histórias e fazer uma cartografia afetiva baseado nos relatos, que serão digitalizadas e inseridas no site biblioteca afetiva… a idéia é ir ampliando o projeto para outros bairros, cidades… O objetivo deste projeto é recuperar as narrativas locais… Hoje na maioria das grandes cidades  os bairros são pobres de narrativas locais.

Porquê o bairro tem esse nome? porquê a rua tem esse nome? porque ele foi criado? quem morou aqui? quais eram as lendas e mitos da região? queremos fazer um memorial digital para que as pessoas possam uma relação afetiva com o seu espaço, cuidar da rua, conhecer pessoas… hoje as pessoas moram num endereço sem nenhuma história, sem nenhum vínculo com o bairro… Se você não tem nenhum vínculo com o espaço onde você mora, você não liga, não cuida, não vive nele…

Objetivo:

Catalogar 6 bairros por ano
60 histórias por ano.

Ampliar o projeto ano a ano…

Primeiro bairro: Vila Madalena – SP

Operação:

1) Começaremos o levantamento das histórias através de voluntários e redes sociais
2) Seleção das histórias
3) Gravação de vídeo de até 3 minutos ( até 10 histórias por bairro)
4) Transcrição das histórias
5) Workshop de desenho com crianças até 12 anos ( parceria com escolas locais)
6) inserção das histórias no site
7) divulgação das histórias pelo portal Catraca livre e redes sociais

A Biblioteca Afetiva será virtual

Para ser voluntario ou sugerir personagens, moradores antigos:
contato@mobilidadeverde.org

 

Instituto Mobilidade Verde instala Biblioteca no Sertão da Bahia

10516703_722041447832127_4117035162455851542_nO projeto de construção da Biblioteca Comunitária do povoado de Lagoa da Barra no município de Quijingue tem como objetivo levar leitura e contribuir com a melhoria no IDH daquela região. Com a implantação do projeto , Lagoa da Barra ganhou um acervo de mais de 2.000 livros, grande parte do acervo literatura brasileira e infantil. Com o trabalho desenvolvido pelo IMV e parceiros  e em conversa com educadores locais, trata-se da primeira biblioteca de toda região, a idéia é inspirar outras cidades da região a fazerem o mesmo, afinal de contas a educação é o principal componente do IDH, ou seja quanto mais educação melhor será a qualidade de vida e maiores são as chances da pessoa ser o que ela gostaria de ser. O Instituto Mobilidade Verde vem trabalhando com esta temática desde a implantação das Biciclotecas em 2010. Atualmente foram implantadas 9 biciclotecas em São Paulo e duas no Rio de Janeiro.

a_quijingue88

Continuar lendo