Cidades apostam no Urbanismo Caminhável

urbanismo_caminhavel_P_112GJundiaí – SP , foi a primeira cidade brasileira a apostar numa ferramenta de auditoria de caminhabilidade  para avaliar o quão caminhável são as ruas do centro da cidade, a partir de um estudo aprofundado com técnicos, especialistas e participação da sociedade. O resultado foi um relatório com indicadores chave onde foi possível identificar as prioridades para investimentos em intervenções e projetos urbanos para mudar a lógica de mobilidade urbana. O trabalho contou com a consultoria do Instituto Mobilidade verde, Zoom Arquitetura e da Urbanista Thaisa Froes. Outras cidades começam a se interessar pelo tema, ocorre que cidades caminháveis são mais desenvolvidas e proporcionam maior qualidade de vida aos seus cidadãos… Cidades caminháveis são mais vibrantes, demandam menos recursos, as pessoas são mais felizes e economicamente viáveis.

A importância de desenhar cidades que tenham sentido para os pedestres

DSCN3082

Estivemos em Bogotá para uma palestra no Fórum Internacional de Espaços Públicos sobre Urbanismo Caminhável, que é uma forma de organizar cidades atráves do desenho urbano que faça sentido para pedestres.

Bogotá tem transformado as ruas do centro  que eram para automóveis em ruas  para pedestres, não se trata apenas de tirar os carros das ruas, mas construir uma cidade que faça sentido para quem anda a pé e isso  tem dado muito certo. Há 3 anos estive em Bogotá e caminhei pelas mesmas ruas que agora  são apenas para pedestres, da outra vez , com o trânsito caótico minha caminhada foi bem menor e desconfortável, porque além de caótico  eu não me senti muito seguro ao caminhar, as fachadas eram ameaçadoras , tinha muito ruído e a cidade parecia meio deteriorada… Desta vez quanta diferença!!! A cidade é um convite para a Deriva… uma forma de conhecer a cidade sem mapas… ela te leva para descobrir seus encantos, e foi assim que caminhei cerca de 4 horas, por ruas totalmente para pedestres, arborizadas, caminhei por todo o centro antigo, candelária, o palácio do governo. É preciso planejar cidades que tenha lógica, que estejam conectadas com o turismo , lazer e o mais importante com os espaços públicos.

DSCN3085  Continuar lendo

Instituto Mobilidade Verde apresenta conceito “Urbanismo Caminhável” no III Forum Internacional de Espaços Públicos de Bogotá

forodadep3

Durante e dias , diversos especialistas espaços públicos do mundo todo apresentaram e discutiram avanços na geração, construção, desenvolvimento e manutenção de espaços públicos.O Instituto Mobilidade Verde foi escolhido em função dos Projetos de Urbanismo Caminhável que tem desenvolvido nas cidade brasileiras.

Instituto Mobilidade Verde traz conceito inovador de cozinha colaborativa para o espaço público.

cozinhaSP

O Instituto Mobilidade verde vem nos últimos anos trabalhando com experiências cidadãs, através de implantação de intervenções urbanas que visam discutir a cidade como bem comum. Desde o ano passado estamos estudando novas formas de ocupação de espaços públicos que possibilitem novos usos e funções para a Praça, entendemos que toda praça tem uma vocação particular em função do uso da comunidade de seu entorno, algumas praças tem vocação artística , outras são mais voltada para criação de hortas comunitárias, outras para esportes e outras como experiência urbana. Identificar a vocação de cada praça é fundamental para reforçar o sentido de pertencimento e para um bom projeto de intervenção urbana. Escolhemos trabalhar com a vocação gastronômica porque a praça que utilizamos para o estudo se encaixava perfeitamente com esta vocação, também percebemos que a praça estava com o seu uso e potencial limitado, em função da forma como ela foi se transformando ao longo dos anos, permanecendo apenas como espaço de fruição, embora seja ocupada por diferentes grupos e tenha vida , mas infelizmente tinha pouco uso como espaço de permanência como resultado da ausência completa de mobiliário urbano, equipamentos esportivos e culturais. A praça está situada no início da Av. Paulista , próximo da rua Angélica , próximo do restaurante Riviera, ícone cultural dos anos 70 e 80 é cortada pela rua Minas Gerais onde esta localizado o restaurante Sal, também é utilizada por grupos vegetarianos e veganos .

 Local :
Praça Marechal Cordeiro de Farias , 66 – ( Praça dos Arcos)
A Praça está localizada no bairro de Higienópolis, (Distrito da Consolação), na região central da cidade de São Paulo. Tem início no final da Avenida Paulista, tendo como esquinas as ruas Minas Gerais, Itápolis e as avenidas Angélica e Paulista.
Também é conhecida como “Praça dos Arcos”, apresenta a escultura Arcos ou Caminho, também chamada de Arco-Iris metálico, de autoria da artista plástica Lilian Amaral e do arquiteto Jorge Bassani, composta de arcos coloridos que permitem a passagem do público por entre os arcos. Foi uma encomenda em comemoração ao centenário da Avenida Paulista, em dezembro de 1991.