Instituto Mobilidade Verde vai aplicar conceito Walkabilty para avaliar e desenvolver bairros mais humanos

Walkability
é uma metodologia desenvolvida pela Fundação Jane Jacobs para criação de comunidades mais acolhedoras, habitáveis e seguras

RL_CidadeQueQueremosPinheiros_03062012_122

Foto: Ricardo Lisboa – Cidade que queremos 2011

Trata-se uma de pesquisa  quantitativa e qualitativa para avaliar o quão  convidativo é  uma área é para pedestres. Andar a pé  é  maneira mais importante para as cidades  conectarem com seus cidadãos  e as caminhadas tem tornado os bairros socialmente  mais vibrantes e seguros . Ambientes verticalizados  necessitam promover  e facilitar os deslocamentos  a pé –  incentivo o acesso às lojas , trabalho, escola e equipamentos públicos  – estes locais são mais valorizados e  melhores para se viver , tem valores imobiliários superiores, promovem  estilos de vida mais saudáveis ​​e têm níveis mais elevados de coesão social.

Quando você pensa em uma área que você gosta de caminhar  ela provavelmente tem algumas condições ou características que a tornam mais amigáveis para o passeio a pé. Isso significa um conjunto de infraestrutura urbana tais como  calçadas bem cuidadas , bancos, boa iluminação , rotas diretas , lojas interessantes , edifícios e instalações que possibilitam o prazer em caminhar . Para outros, pode significar  espaços verdes , ruas mais calmas ou em locais onde carrinhos de bebês e cães possam circular com segurança. Walkability é uma medida subjetiva – algumas pessoas gostam de passear em calçadas tranquilas , enquanto outros buscam o burburinho  das zonas comerciais movimentadas. Muitas vezes estas  considerações são  subjetivas e  retratam  o nosso desejo de segurança,  outras vezes são apenas preferências estéticas.

Examinar  o walkability de um bairro , vila ou cidade é um fator importante para  se considerar quando pensamos  em desenvolver espaços mais acolhedores, habitáveis e seguros. Áreas onde muitas pessoas estão ao redor  para  fazer compras, ir ao trabalho ou escola , ou apenas uma caminhada mais  tranquila ou para promover  conexões sociais , estilos de vida saudáveis ​​e reduzir a dependência e as emissões de gases de efeito estufa.
O objetivo geral do projeto de pesquisa é ajudar a compreender melhor a forma de como as pessoas  estão vivendo no entorno  de prédios e  apartamentos nos bairros da cidade , especialmente se as pessoas saem a  pé. Com base nos argumentos de Jane Jacobs  que defendia a mais de 40 anos atrás, a importância da criação de bons lugares para as pessoas a andar  e é agora cada vez mais reconhecido por especialistas em transporte e funcionários públicos. Pesquisadores e autoridades de saúde pública chegam a sugerir que as formas que estão sendo projetadas nossas cidades tem contribuído para o recente aumento do sedentarismo e da obesidade porque as pessoas já não andam como parte das suas atividades diárias

Bairros que foram projetados para carros agora estão obrigando  as pessoas a perderem tempo no trânsito para a realização de suas vidas. Este estudo tem o objetivo de entender melhor como os moradores podem criar maneiras alternativas de deslocamentos , especialmente a pé. Nosso objetivo é compartilhar essas informações com as pessoas que já vivem dentro destes bairros  para que possam defender  melhorar a necessidade de melhorias.

Este é um bom momento para os moradores possam  deixar claro o que eles querem e  que eles precisam de políticas públicas  e programas que possam melhorar o bairro onde vivem .

Usamos três métodos básicos : a caminhada facilitada pelo Instituto Mobilidade Verde, Conexão Cultural e Sampapé  com grupos de moradores para permitir -lhes falar sobre seus Bairros e os tipos de locais e instalações que usam e como eles funcionam, uma pesquisa individual  curta sobre onde muitas vezes as pessoas andam e como realizam suas  atividades diárias como fazer compras e ir ao ponto de ônibus , e um exercício de mapeamento social  onde os moradores falam sobre os ambientes que eles costumam frequentar no bairro e como são estes deslocamentos , suas idéias são compartilhadas  e gravadas  num  mapa da comunidade.

Um relatório preliminar é  enviado para cada bairro e pode ser usado por moradores e grupos da comunidade para trabalhar com a cidade para fazer alterações em seu ambiente ou planos de bairro.  Um relatório geral será criado  para ajudar a ilustrar melhor  a tese de tipos de comunidades suburbanas internas. Este relatório estará disponível para o público em geral e submetido a Prefeitura  e outras partes interessadas da comunidade . Artigos acadêmicos serão escritos pelo Instituto Mobilidade Verde para serem  adicionados  à crescente literatura sobre caminhada de bairros.

Uma visão geral,  resumindo as  conclusões do relatório escrito pelo grupo de facilitadores ficará  disponível para membros da comunidade

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s