Instituto Mobilidade Verde e Reud estimulam empresas criativas a trabalharem ao ar livre

10403188_4589881241487_2964571445614387682_n 10645335_4589929322689_1844431339468148796_nDesenvolver este projeto foi uma das experiências mais expraordinárias de ocupação do espaço público que realizamos nos últimos anos. Trata-se de uma inovação em tecnologias socias que visam trazer as pessoas para ocupação de espaços públicos. A idéia é propor um novo uso para o espaço público que não apenas para lazer, mas como possibilidade de gerar trabalho e novos processos criativos.  Em parceria com o sistema B conseguimos juntar varias empresas que tem como objetivo fazer  negócios de impacto social, juntas puderam dividir experiência , conhecer outras empresas, coversar, tomar um sol… tudo ao ar livre

Movimento “Traga seu trabalho para a Pracinha Oscar Freire”

A Pracinha Hub foi inspirada no movimento BYOW ( Bring your Own Work) que é uma variação da expressão BYOB que começou em restaurantes nos anos 60 e 70 nos EUA “ Traga sua própria garrafa” , depois o termo foi variando para outras coisas como trabalho, pic nic, reuniões, evento, festa para o espaço público.

A idéia da “Pracinha Hub” é inspirar as pessoas através do trabalho ao ar livre, dentro deste conceito estamos convidando empresas, escritórios de design, agências de publicidade, Start Ups, qualquer empresa… para passarem ½ período trabalhando ao ar livre em nossas mesas coletivas em meio a uma das ruas mais charmosas de São Paulo, a rua Oscar Freire.

Nosso primeiro parceiro neste projeto foram as empresas do Sistema B, são empresas que querem resolver problemas sociais e ambientais a partir dos produtos e serviços que vendem. No entanto, qualquer empresa vai poder se inscrever no Hub, a inscrição é gratuita mas importante para ter acesso as mesas e internet, mas qualquer pessoa poderá frequentar a pracinha neste dia.

Durante o dia todo a Pracinha contará com a presença do Alex, Bio-Barista cafés especiais, Urban Remedy com seus sucos orgânicos prenssados a frio. E na hora do Almoço sempre haverá um food Truck, nesta quarta-feira dia 01/10 , teremos o The Asian Father de comida tailandesa e a partir das 18hs que tal um Happy Hours com Los Mendozitos?

Serviço:
- Rua Oscar Freire, 974

- Mesas comunitárias para até 8 pessoas com guarda-sol
– Internet de Alta Velocidade
– Local para estacionar Bicicleta
– Food Trucks (verifique o cronograma)
– Bio Barista – Cafés especiais
– Segurança
– Livraria Prince Books no Local
– horários : das 9h as 12h e das 15h as 18h
-Harário de Almoço : das 12h as 15h
– Estacionamento Rede park no local
10513250_4590200609471_6745136462436407461_n 10372796_4590010604721_5228573604823049815_n 10557157_4589926962630_8607846997264733188_n 10383010_4590198449417_2914839995751126710_n 10712817_4590199929454_42372531219284889_n

Manifesto por ruas mais humanas e sustentáveis, por uma cidade melhor

escola_parklet_prefeito
da esquerda para direita: Prefeito Fernando Haddad, Pres. Instituto Mobilidade Verde Lincoln Paiva, Secretarios Fernando Melo e Jilmar Tatto
Foto: Fabio Arantes SECOM

Abaixo reproduzo o Manifesto com mais de 30 organizações de ocupações de espaço público em defesa das políticas públicas voltadas para humanização da cidade. O Manifesto foi lido dirante o evento Escola de Parklet, com a presença do prefeito Fernando Haddad , Secretário de Transportes Jilmar Tatto e o Secretário de Desenvolvimento  Fernando Melo. Após a leitura o prefeito tornou-se imediatamente signatario e conclamou que todos os governos independentemente de partidos e ideologias deveriam seguir de forma suprapartidaria.

Prefeitura da cidade de São Paulo
Prefeito Sr. Fernando Haddad

Em 2008, a humanidade cruzou um limite histórico: pela primeira vez, mais pessoas passaram a viver em áreas urbanas do que rurais. Nos tornamos seres predominantemente urbanos.
O que milhares de pesquisadores, urbanistas, coletivos, artistas e cidadãos ao redor do globo estão tentando descobrir é: como construir cidades mais humanas e sustentáveis?

Se hoje a vida acontece nas cidades – e não há como impedir seu crescimento –, será possível impedir o seu declínio?

Até a segunda metade do século 20, criaram-se, em volta das cidades, áreas suburbanas com bairros distantes, de baixa densidade, mal servidos de transportes públicos e com fraco desenvolvimento social.

Esse modelo estimulou a demanda por deslocamentos de automóvel. Uma demanda muito superior ao que as cidades poderiam suportar. Aos poucos, as metrópoles foram se transformando em grandes estacionamentos de veículos particulares e as pessoas perderam a conexão com as ruas, o contato humano, encapsuladas em seus carros, respirando um ar de péssima qualidade no trânsito.

Um dos grupos demográficos mais afetados por esse modelo foram as crianças, já que sua consciência cívica, ou a ausência dela, está estritamente vinculada com a experiência temporã do coletivo.

A falência dessa matriz trouxe um novo conceito de desenvolvimento urbano, cada vez mais discutido em todo o mundo: o urbanismo caminhável, que cria outras centralidades e valoriza a curta distância entre moradia, trabalho, educação, saúde e lazer.

Uma organização baseada em alta densidade, com diversos tipos de imóveis ligados por áreas de lazer, bem conectados por sistemas de transportes coletivos e não motorizados. Ou seja: as melhores cidades do mundo são aquelas cujos bairros dependem cada vez menos de transporte individual, com ruas arborizadas e fácil acesso a pé ou de bicicleta para os deslocamentos cotidianos.

Desenvolver esses novos padrões é um desafio de todos: governo, empresas privadas, sociedade civil e universidades. Em São Paulo, chegamos ao ponto de mutação: um limite do qual não é mais possível voltar atrás. Temos de caminhar no sentido de uma cidade pensada para as pessoas, que reorganize seus espaços de modo a torná-los mais agradáveis e habitáveis, para propiciar melhor qualidade de vida.

Mas, para que as pessoas caminhem mais, é preciso não só criar bairros mais atrativos como investir em caminhos seguros, iluminados e com infraestrutura adequada para pedestres e ciclistas. É necessário estimular a população a ocupar ruas e praças e incentivar a formação de mais espaços de convivência, garantindo o cuidado dos espaços verdes e apoiando práticas sustentáveis.

O conhecimento e a apropriação do espaço em que vivemos nos faz desenvolver pontos de referência e sentido de pertencimento. Viver ativamente a cidade

promove uma atitude positiva e de respeito pelo espaço público – um espaço de aprendizagem e convívio para todos. Lutamos por ruas de escala humana, coletiva, criativas e com maiores oportunidades para todos.

Em São Paulo 24 de setembro, assinam este manifesto:

Instituto Mobilidade Verde
Cidades para as Pessoas
Cidade Democrática
Cidade Ativa
Efêmero Concreto
Boa Praça
Sampa pé
Minha Sampa
Café na rua
Bela Rua
A Batata Precisa de Você
Red OCARA
Davis Brody Bond – Arquitetura da convivência
Conexão Urbana
Ocupe & Abrace
Catraca Livre
Virada Sustentável
IMARGEM
Zoom Arquitetura e Urbanismo
Acupuntura Urbana
Rodas de Leitura
Superlimão
H2C Arquitetura
Contain (IT)
Muda
Mobilize
Parkl(IT)
Rios e Ruas
Escola São Paulo
Urbanismo Caminhável
Ciclocidade

Workshop Parklets na Escola São Paulo

Logo-parklet escola spEm comemoração a semana nacional de Mobilidade Urbana, iremos realizar junto com a CET o workshop Escola de Parklets, as vagas são limitadas e por ordem de chegada, inscrições ocorrem no dia do evento dia 24 de setembro, quarta-feira, o Workshop Escola de Parklet gratuito, é uma oportunidade de aprender a fazer Parklet com a equipe que trouxe o Parklet para o Brasil, Especialistas em Mobilidade Urbana, Arquitetos, engenheiros, designers e pesquisadores… Contaremos nossa experiência na construção dos primeiros Parklets até a formação do Coletivo Parkl(IT) responsável pela implantação dos 6 preimeiros Parklets na cidade de São Paulo  e do planejamento de mais 30 até o final do ano. As vagas são super restritas e por ordem de chegada. O Workshop EP é uma parceria com a CET e Escola São Paulo durante a semana nacional de Mobilidade Urbana e contará com a presença do Prefeito Haddad na abertura.

Workshop Escola de Parklet
dia 24/09 das 9 as 12h  – inscrição no local no dia do evento
Rua Augusta, 2074 – São Paulo – SP – Brasil – Metrô Consolação
Bicicletas são benvindas na Escola São Paulo.
Venham de Bike!

Urbanismo Caminhável

urbanismo_caminhavel_800O Instituto Mobilidade Verde e a Zoom Arquitetura e Urbanismo fazem parte do coletivo “Urbanismo Caminhável”, um novo  conceito de pensar cidades mais humanas e sustentáveis, o objetivo do coletivo é disseminar a importância de repensar as cidades sob uma perspectiva que valoriza a caminhada,  transporte alternativo, transportes públicos, a mobilidade sustentável e o encurtamento das viagens através da criação de novas centralidades econômicas. Fundamentam esse conceito a metodologia de pontuação da “caminhabilidade” ( zoneamento, calçadas, ruas, sistema viário, conexões, uso do solo, arborização, espaços públicos, serviços, trabalho, saúde, educação e lazer) dos bairros, quanto mais pontos, melhor a qualidade de vida, o Placemaking e os  Projetos de intervenções urbanísticas.

Experiência na construção de Parklets: Parkl(IT)

Parklit
Um grupo formado por uma ONG,  construtora de Mobiliário Urbano e três escritórios de arquitetura e design se uniram para estimular a construção de Parklets em todo o Brasil, o grupo foi responsável pela construção dos primeiros parklets na America Latina, tendo pesquisado, planejado e  implementado os  6  primeiros Parklets da cidade de São Paulo e com projetos para mais  30 Parklets até o final do ano.  Queremos aplicar diversas competências para criar Parklets de qualidade na cidade, estimular a construção de áreas de convivência e melhorar a qualidade de vida das pessoas. A união permite que cada entidade exerça suas qualidades com competência, é preciso criar Parklets que respeitem as narrativas locais, que possam gerar maior qualidade de vida, o trabalho do Instituto está no resgate destas narrativas, pesquisa, medição de ruído, na mediação com o entorno e com os gestores públicos, além disso o Instituto é responsável pela Escola de Parklet que é um curso realizado em conjunto com a Escola São Paulo para ensinar outras organizações a fazerem Parklets. O objetivo do Parkl(IT) é estimular o mercado de Mobiliário Urbano para criação de áreas de convivio estimulantes, mais humanos e sustentáveis.

Conheça os Parklets realizados pelo grupo: Parklets

Saiba mais sobre Parklets : contato@mobilidadeverde.org